Temas abordados

ANTROPOLOGIA FORENSE

ODONTOLOGIA LEGAL

MEDICINA LEGAL

IDENTIFICAÇÃO HUMANA

DESASTRES COLETIVOS

QUEILOSCOPIA

RADIOLOGIA MÉDICA

IDENTIFICAÇÃO FACIAL

RECONSTRUÇÃO FACIAL

MARCAS DE MORDIDA

RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL

Informações

Local

Universidade de Brasília
Campus Darcy Ribeiro
Faculdade de Ciências da Saúde
Auditório 3

Transporte

Devido à proximidade dos setores hoteleiros norte e sul, do local do evento, sugerimos o uso de táxi e/ou aplicativos de transporte privativo (Uber). Rádio Táxi Brasília: (61) 3328-3038. Coobras: (61) 3322-9000.

Hospedagem

O BSBForense não possui um Hotel Oficial. Opções para sua hospedagem durante o Congresso: Esplanada Brasília Hotel, Brasília Imperial Hotel, Planalto Bittar Hotel e Naoum Hotel.

Mesas Temáticas

Antropologia Forense e Direitos Humanos

Quais as contribuições que o conhecimento técnico especializado em Medicina e Odontologia proporcionam em casos como da Guerrilha do Araguaia? Como são realizadas as expedições de busca pelos restos mortais dos desaparecidos há mais de 50 anos? Como realizar uma escavação permitindo o resgate da maior quantidade de informações? Como interpretar os achados nestes casos? Como transportar os frágeis restos mortais?
Qual a atual situação dos restos mortais encontrados em 1990 em uma vala clandestina no cemitério de Perus? Como preparar, classificar, agrupar e, enfim, periciar tantos restos mortais?
Como utilizar a Perícia Médico Legal como Instrumento de Prevenção e Punição da Tortura? Quais as possibilidades e limitações da técnica pericial? O perito pode indicar a ocorrência de tortura?
Respostas a estas perguntas e muitas outras perguntas serão trazidas por profissionais que efetivamente detêm o conhecimento teórico e prático sobre o assunto: Samuel Ferreira, Ricardo Frade e Malthus Galvão, com a mediação da Comissão de Direitos da OABDF.

Identificação Humana em Desastres Coletivos

Os desastres coletivos são, por sua natureza, imprevisíveis e violentos, resultando em um verdadeiro caos. Pessoas feridas, desabrigadas e muitos cadáveres, muitas vezes com a necessidade de técnicas especiais para identificação.
Serão abordados quatro eventos completamente diferentes, mas todos com uma forte atuação pericial médico legal no sentido de proporcionar uma das grandes necessidades nestes momentos: a identificação das vítimas.
Como foi realizada a identificação das vítimas no Massacre no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, ocorrido em 2017 e resultou em 56 mortes? Como foi possível a identificação de vítimas do Voo 447 – Air France. 2012, em alto mar, com 228 pessoas?  Como proceder em casos de incêndios em ambientes fechados com centenas de mortos, como ocorreu no incêndio do supermercado paraguaio Ycuá Bolanos em 2004? Como foi toda a logista das operações de resgate e identificação das vítimas da queda do Voo 1907 em plena selva amazônica em 2006? Como aproveitar ao máximo os recursos da papiloscopia, da genética e da antropologia forense, um mix de medicina e odontologia?
Todas estas operações de sucesso serão relatadas por protagonistas da atividade pericial que efetivamente fizeram a diferença, colocando o Brasil em posição de destaque.

Técnicas Especiais para Identificação Humana Antropológica

Os princípios da identificação humana são os mesmos, não importando o caso, por mais diverso que seja, e como são diversos os casos, este fato torna o trabalho pericial de identificação humana uma atividade nada rotineira e emocionante.
Que tal identificar um cadáver em menos de um dia pelo rastreamento do serial de uma prótese implantada no corpo da vítima?
Será que poderíamos identificar uma pessoa por uma marca de batom deixada em um guardanapo não só pelo DNA, mas também pela própria impressão dos lábios? Você sabia que cada um de nós possui uma impressão labial única?
Um dos grandes pilares da identificação humana é a radiologia forense, com uma amplitude de opções que vai dos seios da face aos ossos dos pés, com uma prolongada e fértil parada no aparelho estomatognático. Como realizar as comparações? Como interpretar as modificações ocorridas ao longo do tempo, entre o registro intra-vitae e o post-mortem?
O fogo geralmente é utilizado por criminosos para destruir “completamente” os vestígios. Uma modalidade muito utilizada no Estado do Rio de Janeiro é o “micro-ondas”, que consiste em colocar uma pessoa viva dentro de uma pilhas de pneus para, sem seguida, queimá-la viva e destruir o corpo em seguida. Um homicídio qualificado pelo emprego do fogo e ocultação de cadáver. Como identificar as vítimas reduzidas a fragmentos? Quais são os cuidados especiais nestes casos?
O feminicídio é responsável por diversas situações com dificuldades de identificação, como nos dois casos que serão mostrados, no qual duas mulheres, mortas pelos namorados, foram encontradas tempos depois, uma putrefeita e queimada e outra carbonizada e esqueletizada. Como foi utilizada a entomologia forense para a cronotanatognose? Como foi realizada a identificação por uma fotografia do sorriso e por radiografias odontológicas? Como determinar a causa mortis?
Esta mesa abrirá os horizontes dos presentes para a diversidade de técnicas utilizáveis em identificação humana antropológica.

Antropologia Forense: Parece Ficção, mas é Real!

Muitas vezes os alunos nos perguntam se os seriados do tipo CSI são fantasiosos ou não, ao que respondemos que temos casos até mais interessantes, com a diferença de que gastamos bem mais do que 45 minutos para resolvê-los.
Como interpretar achados ritualísticos encontrados em crânios humanos à luz da cultura religiosa local? Teria sido utilizado um crânio já esqueletizado ou uma pessoa foi deliberadamente morta no ritual?
Como associar fragmentos de um mesmo corpo encontrados em diferentes pontos da cidade, em diferentes datas? Como a aplicação de técnicas antropológicas forenses permite respostas eficientes nestes casos? Como montar uma expedição ao local para recuperar vestígios?
Como podemos improvisar com criatividade equipamentos que nos auxiliam na tarefa da identificação humana? Como Dr. Frank Marota resolveu inúmeros mistérios no Estado de Minas Gerais ao longo de mais de 30 anos de carreira?
Desmarque seu compromisso com o seriado da TV e venha ver a realidade.

Nexo Causal e Dano Odontológico nas Perícias Cíveis e Criminais

Ocorrida uma lesão, é necessário não só estabelecer o dano, ou seja, a piora nas funcionalidades do organismo, mas também estabelecer o nexo causal com o evento em tela, sem entrar no mérito jurídico, mas oferecendo todos os elementos para que esta análise seja realizada em sede judicial.
Como poderia um Delegado de Polícia indiciar um suspeito de praticar o crime de lesões corporais sem os elementos necessários para classificar a lesão corporal? Como poderia um Promotor de Justiça denunciar sem os elementos periciais necessários? Como poderia um Juiz sentenciar sem todos os elementos para sua cognição? Como poderiam as partes exercer o direito à ampla defesa e ao contraditório sem o laudo pericial, que responde às questões básicas como se houve lesão, sua natureza e, em especial, as consequências, incluindo as possibilidades terapêuticas?
Como o Cirurgião-Dentista participa em um processo cível como perito do juízo ou como assistente técnico? Como formular ou responder quesitos? Como utilizar exames complementares? Como redigir o resultado dos trabalhos periciais: o Laudo?
Como o Cirurgião-Dentista participa nas perícias criminais? Qual o papel do assistente técnico na perícia criminal? Como ser assistente técnico em processo criminal?
Como é tratada a questão do sigilo na relação perito-periciando? Seria igual à da profissional-paciente? Qual é o dever de esclarecimento do perito em relação ao periciando? Ë possível o exame do periciando sem a sua colaboração ou consentimento?
Esta mesa, que mescla profissionais do direito e da saúde, titulados e experientes, trará alguns nortes para estas perguntas. Venha participar.

Novas Tecnologias em Representação e Identificação Facial

Os avanços tecnológicos beneficiaram todas as áreas da identificação humana. O conhecimento do genoma humano e de suas peculiaridades inaugurou a Genética Forense, agora potencializada pela existência dos bancos de dados. O antigo sistema decadactilar de Vucetich dos dermatoglifos atualmente foi substituído pela possibilidade de captura, armazenamento, transmissão e comparação digital.
Na área da Antropologia Forense, grande tema desta mesa, a computação gráfica é de extrema relevância para a identificação humana e pode contribuir para a reconstrução da fisionomia de uma pessoa a partir de um cadáver ou na identificação automatizada pela face ou na determinação de parâmetros como a idade.
Iniciando os trabalhos, poderemos acompanhar o passo a passo de uma reconstrução facial a partir de um crânio, com utilização de equipamentos simples e disponíveis como celulares, e com softwares livres, ou seja, um trabalho reprodutível por você.
Como a inteligência artificial revolucionou a identificação facial computadorizada? Como realizar uma triagem em bilhões de imagens disponíveis na internet à procura de imagens de pedofilia? Como estimar de forma automática a idade das pessoas que aparecem em fotografias ou filmes?
Venha mergulhar neste mundo de tecnologia, que só está começando, pois a cada dia que passa uma revolução acontece, proporcionando poderosas ferramentas na área de identificação humana.

Responsabilidade Profissional Médica e Odontológica

Um dos grandes momentos do BSB FORENSE 2017 será a palestra do Prof. Doutor Desembargador Diaulas Costa Ribeiro, que com as credenciais de quem atuou brilhantemente como Promotor do Tribunal do Juri, criou a PROVIDA – Promotoria de Justiça Criminal de Defesa dos Usuários de Saúde enquanto no Ministério Púbico do Distrito Federal e Territórios, foi Procurador de Justiça do MPDFT, atualmente é Desembargador de Justiça do TJDFT e contribui ativamente com o Conselho Federal de Medicina, dado o reconhecimento de sua capacidade na área.
Dr. Diaulas, tendo como fio condutor recente voto de sua lavra relacionado à responsabilidade profissional na área da saúde, desfiará todos os elementos essenciais à compreensão do tema, com simultânea profundidade e simplicidade, com embasamento sólido teórico e jurisprudencial.
Bem antes da responsabilidade cível ou criminal, o profissional de saúde deve se preocupar com os princípios éticos que norteiam as profissões desta natureza, que lidam com corpos e espíritos, com doenças e angústias e que espera não só a cura pelo remédio, mas também pela palavra de orientação e conforto. Seguidos estes princípios, certamente dissabores serão evitados.
No contexto do Ministério Público, órgão acusador, a assessoria técnica especializada é fundamental para que os elementos disponíveis, incluindo-se a perícia, sejam analisados em conjunto, permitindo um norte seguro à promotoria.
Encerrando com chave de ouro esta mesa, teremos um especialista em uma das áreas mais demandadas judicialmente: a ortodontia. Como superar os eventuais desgastes na relação profissional paciente em um tratamento prolongado? Como conduzir a escolha pelo paciente entre as técnicas aplicáveis ao caso? As projeções antes e depois criam uma obrigação de resultado ou um simples asterisco resolve este problema?
Tanto o assunto quanto o nível dos participantes torna este mesa indispensável para quem pratica a medicina ou a odontologia, como forma de se precaver de processos judiciais.

Competências dos Profissionais de Saúde

Muito se discute atualmente a respeito de qual profissional pode ou não realizar determinado procedimento.
Quais são os exatos limites do exercício proporcional médico e odontológico considerando-se que ambas as profissões se direcionam a proporcionar bem estar à comunidade?
A reserva de mercado se explica pela necessidade de se oferecer os procedimentos necessários com o menor risco possível, ao ponto do inevitável, e pressupõe-se que, com formação acadêmica específica, o habilitado estaria preparado para tal mister.
Os convênios podem, como muitos o fazem, limitar o arsenal diagnóstico do Cirurgião-Dentista? Quando poderiam condicionar o exame a um pedido assinado por um médico?
As discussões da interface entre a medicina e a odontologia se iniciaram entre a cirurgia plástica e a cirurgia bucomaxilofacial e, atualmente, se estende para os procedimentos denominados genericamente de “harmonização facial”. Um dos procedimentos realizados neste sentido é a bichectomia, que merece uma discussão não só da competência, mas também da indicação e complicações imediatas e tardias.
Venha discutir este tema, sem preconceitos, com experientes profissionais, incluindo representantes do CRODF e do CRMDF, com mediação da OABDF.

Notícias

Mensagem do Presidente da ABOL

A Associação Brasileira de Ética e Odontologia Legal – ABOL parabeniza o Presidente da ABRAF e do BSB FORENSE 2017, Dr. Malthus Galvão pela iniciativa e agradece o convite para contribuir na busca do conhecimento na área forense. No momento em que se encontra em...

ler mais

Mensagem do Presidente da ABRAF

A ABRAF, Associação Brasileira de Antropologia Forense, entidade nacional representativa desta área do conhecimento no Brasil, que congrega especialistas e professores de diversas áreas, sente-se com a missão cumprida por ser a entidade protagonista do BSB FORENSE...

ler mais

Mensagem do Presidente do BSBFORENSE 2017

O BSB FORENSE 2017 já é um sucesso, pelas mesas temáticas relevantes e atuais, e pelos melhores professores e peritos do Brasil. Serão oito mesas temáticas em dois eixos: “Antropologia Forense e Identificação Humana” na sexta-feira e “Responsabilidade Profissional...

ler mais

Contato

E-mail

contato@bsbforense2017.com.br

BSB Forense 2017

Translate »

Pin It on Pinterest

Share This